Assessoria de imprensa da deputada negou que ela esteja sendo investigada. “Não podemos descartar ninguém”, diz delegada.

Nesta sexta-feira (21) a delegada Bárbara Lomba, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), declarou que todas as pessoas que estavam na casa da deputada Flordelis na madrugada do último domingo estão sendo investigadas pela morte do pastor Anderson do Carmo. Entre eles a própria deputada.

“Não podemos descartar ninguém que estava próximo da cena do crime. Provavelmente, a motivação do crime é relacionada a uma questão que envolve a família, mas não se sabe de que natureza. Tudo indica que tem relação com as relações familiares, quem convivia com a vítima”, disse a delegada ao G1.

Os motivos do crime estão sendo investigados, a polícia tenta encontrar outras motivações além de desavença familiar.

“Não está esclarecida se a execução aconteceu daquela forma que foi narrada, se são só essas pessoas envolvidas, então, muita coisa ainda está indefinida. São muitas motivações possíveis, pode ser mais de uma. E não está comprovada a relação extraconjugal”, declarou Lomba.

Até o momento dois filhos da deputada confessaram ter atirado contra o pastor. Lucas dos Santos e Flávio dos Santos Rodrigues permanecem presos.

Um terceiro filho de Flordelis já prestou depoimento e chegou a dizer que a mãe e três filhas estariam envolvidas na morte do pastor. Inclusive, as irmãs teriam oferecido dinheiro a Lucas para que ele matasse o pai.

A assessoria de imprensa da deputada Flordelis negou que ela esteja sendo investigada. “A deputada federal Flordelis recebeu a intimação para depor como testemunha do caso, e não como investigada, porque não está sendo investigada.”

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here