A ideia de que o ex-presidente Lula (PT) é vítima de uma prisão política foi disseminada pela militância de esquerda e abraçada por setores do meio evangélico. Uma amostra é o caso do pastor Daniel Elias, 38 anos, que viajou a Curitiba (PR) para ungir o cadeado do portão da sede da Polícia Federal, onde o presidiário é mantido.

Lula, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro nos casos do triplex no Guarujá (SP) e do sítio em Atibaia (SP). A soma das duas penas chega a 21 anos e nove meses de prisão. A segunda condenação ainda será avaliada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) em segunda instância.

Nesse contexto, Elias saiu de Duque de Caxias (RJ) para ungir o cadeado da Superintendência da PF em Curitiba, num “ato profético” para a liberação de Lula, que já soma mais de 400 dias preso.

“Irmãos a paz do senhor Jesus, eu estou aqui em Curitiba, no Paraná, na Polícia Federal, aonde nós temos aqui um preso, que é um preso político que é o Lula. Foi uma grande injustiça, uma grande covardia, e eu entendi que existe uma forma de Lula sair daqui. É Deus abrindo a porta da prisão”, afirma o pastor em um vídeo que se tornou viral na região da Baixada Fluminense.

“Eu creio que muito em breve, Lula vai sair como um sinal pra todos verem que o que [o ex-juiz Sérgio] Moro fez foi uma grande covardia e [o procurador Deltan] Dallagnol, que essa aliança dos evangélicos com Bolsonaro está reprovada por Deus”, acrescenta o religioso.

De acordo com informações do 1News, Daniel Elias afirmou que após a divulgação do vídeo tem recebido diversas críticas de pessoas que discordam de seu gesto e avaliação do cenário.

Assista ao vídeo do pastor em frente à PF:

https://youtu.be/8FmFXdQhd0c

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here